domingo, 18 de setembro de 2011

Quando o tamanho conta


Anteriormente falamos de sexo mas não falamos dos instrumentos do sexo.
Para não ficarem com dúvidas estamos a falar dos pénis e dos preservativos (camisinhas).
Na África do Sul existiu um concurso para a importação de 11 milhões de preservativos. Numa primeira fase, quem ganhou foi a empresa Siqamba Medical que tinha como objectivo importar a mercadoria da China mas uma concorrente sua, a Sekunjalo Investments Corporation, convenceu o Alto Tribunal de Pretória que os seus preservativos eram 20 % mais longos do que os dos chineses.

O juíz Sulet Potteril deu razão à segunda empresa com base no tamanho, má qualidade e falta de homologação pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Fiz uma pesquisa para saber se os fundamentos do Alto Tribunal de Pretória eram válidos ou não.
Os argumentos da homologação pela OMS e a má qualidade não é de admirar, pois os produtos Made in China de marca duvidosa dificilmente conseguem atingir patamares de qualidade aceitáveis.

Os resultados que obtive deram um diferença de 29% entre os chineses e os sul-africanos mas engana-se que acha que estes têm os famosos 22 por 9. Na realidade ficaram-se pelos 15,29 cm abaixo, por exemplo, dos franceses com os 16,10 cm.

Fica um mapa para comparar os tamanhos entre diferentes nacionalidades.




Sem comentários:

Enviar um comentário