terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Sem-abrigo rouba e paga multa

Na santa terrinha que é este Portugal, a cadeia de supermercados que tem aquela música irritante de Janeiro a Janeiro, decidiu levar a tribunal um sem-abrigo por este ter furtado polvo e champô.


O sem-abrigo da zona do Porto entrou dentro do Pingo Doce localizado na Praça Afonso V e conforme ia deambulando pelos corredores colocou os produtos debaixo da roupa. À saída, abordado pelos seguranças, entregou os produtos.

O Pingo Doce, não contente em ter recuperados os produtos que o mendigo roubou, decidiu levar o homem a tribunal. O valor total dos produtos roubados foi de €25.66 e a multa a que foi sentenciado foi de €250.00.

O Pingo Doce foi pôr mais uma pedra no entulhado sistema judicial português por uma irrisória quantia que foi recuperada à saída. O supermercado não teve prejuízo mas o estado português teve. Vale lembrar que todos os cidadãos que vivem em Portugal contribuíram para pagar a um advogado oficioso e perdeu horas que podiam ser usados para resolver os processos pendentes de verdadeiros gatunos.

Querem saber a melhor? Por definição, o sem-abrigo não têm residência fixa e por isso ninguém sabe por onde anda e mesmo que seja notificado não terá forma de pagar o valor.

O Pingo Doce defende-se diz que fez o que fez para "não passar sinais errados para a comunidade".

Sinais errados?! Bom.. o Pingo Doce já tinha um motivo de ódio (aquela música) e agora tem outros, falta de compaixão, sensibilidade e bom senso.

Conheça a campanha publicitária daquela música, primeiro estranha-se, depois entranha-se e depois odeia-se

(se não consegue ver o vídeo clique aqui)


Sem comentários:

Enviar um comentário