quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Lulu - O aplicativo do desgosto dos homens

Homens, temei! O vosso dia de serem caluniados, avaliados e olhados como objectos chegou.


O jovem de 28 anos, estudante de direito, Felippo de Almeida Scolari, entrou com um processo no Juizado Especial Cível, alegando que sua imagem estava sendo utilizada sem autorização, contra o aplicativo Lulu, onde as mulheres fazem o gosto ao dedo avaliando homens.

Mas antes de vos mostrar o que as mulheres andaram a comentar no Lulu sobre este jovem, vamos conhecer melhor este aplicativo.

O Lulu coloca a possibilidade das mulheres avaliarem qualquer perfil masculino no Facebook e depois completarem com as hastags (aquelas coisas que têm o símbolo # antes da palavra) tão genéricos como #saibemnafoto (sai bem na foto) ou provocadoras como #ShouldComeWithAWarning (devia de vir com um aviso).

Agora regressando ao nosso intérprete da história do dia.

Este é o moço #chateado
Certo dia, ele descobriu que estava a ser avaliado quando uma amiga sua (provavelmente uma das cinco que o avaliou) lhe mandou uma foto no qual o seu perfil tinha uma nota de 7,4 abaixo por exemplo de Woody Allen (com 8,2)

Quando começou a ver melhor o seu perfil descobriu que além de coisas boas sobre ele tinha também as seguintes designações: "não fede nem cheira", "death breath" (hálito de morto), "arrota e peida" e "não liga no dia seguinte".

(clique para ver em tamanho grande)
Ele diz que ficou revoltado com a exposição da sua intimidade, o que achamos estranho, uma vez que não é o Lulu que avalia e expõe mas as mulheres que o conheceram.

Quanto ao resto está no Facebook que ele, de acordo com as regras de privacidade que definiu, está à vista de todos.

O tribunal declinou o pedido de indemnização de 27 mil reais (8500 euros) de Fellipo dizendo que ele podia apagar o seu perfil no aplicativo acendendo simplesmente ao seguinte link: http://company.onlulu.com/deactivate ou definir as regras de privacidade convenientemente no Facebook.

Ele contrapõe dizendo que não consegue apagar o perfil do aplicativo.


Num país com tantas coisas ruins, Fellipo se lembrou de ir para tribunal porque alguém não o elogiou e disseram que tinha mau hálito, que curtia Romero Britto e que se esquece da carteira. 

Moral da história: O aplicativo Lulu não é o problema mas as pessoas que o usam. O melhor remédio é c@gar para opinião alheia e seja feliz porque quem vive a sua vida é você e não os outros.



Sem comentários:

Enviar um comentário