sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A menina dos corvos


Invulgar e quase mágico é como se pode descrever a história que se segue. Gabi Mann é uma criança dócil e afortunada pois conseguiu desenvolver uma amizade com os corvos que ela alimenta e os corvos não esquecem de mostrar a sua gratidão.

A menina de oito anos de Seattle tem o hábito de alimentar os pássaros que pousam no seu jardim com amendoins.

A criança alimenta os corvos e eles trazem objectos como recompensa

Ela coloca os amendoins num tabuleiro que fica no seu jardim e todos os passáros da região vão lá comer mas os corvos costumam trazer pequenas ofertas para ela em sinal de agradecimento.

São objectos variados, sem qualquer padrão que os corvos conseguem transportar no bico e que deixam no tabuleiro onde recebem os seus amendoins.

Gabi tem imenso orgulho na sua colecção que vai catalogando de acordo com os dias em que recebe os seus presentes.

Uma criança que alimenta os corvos costuma receber pequenos presentes como gesto de agredecimento

Os corvos são uma das espécies mais inteligentes no planeta e certamente encontraram uma forma de retribuir o gesto da pequena criança. O gesto é tão singelo que parece saído de uma fábula e para Gabi estes objectos que aparentam não ter qualquer valor são mais valiosos que ouro.

A criança recebe prendas dos corvos como sinal de agredecimento

Mas esta história mágica teve uma reviravolta inesperada, quase como se fosse um grito grotesco e visceral da inveja, um desejo destrutivo do que é intangível, os vizinhos orquestraram um plano para parar com esta demonstração de afecto.

Os corvos são alimentados por uma criança que lhes dá amendoins

Os vizinhos alegam que os animais que se juntam para o festim dos amendoins causam danos nas suas propriedades com a sujidade, cascas, restos de comida, penas, fezes e urina. Que não só se juntam corvos mas também pombos, gaivotas e ratos.

Determinados a parar com a alimentação, tencionam em levar os pais de Gabi a tribunal e pedir uma indemnização de 200 mil dólares (180 mil euros / 697 mil reais) e a ordem do juiz para que nunca mais se repita este gesto.

No fim fica a questão, apesar da beleza do gesto são os vizinhos obrigados a suportar a sujidade e os danos que os pássaros causam? Será apenas um acto motivado pela inveja por não ser razoável pedir 200 mil dólares?

O que é que você acha disto? Comentem abaixo!



Sem comentários:

Enviar um comentário