terça-feira, 1 de setembro de 2015

A história do pó compacto

Beleza, aquele objectivo sagrado é conseguido por muitos com a ajuda de cosméticos mas o que talvez não saibam é que um dos pós compactos mais famosos do mundo teve uma estranha origem.

a história do pó compacto


No início do cinema a preto e branco o tipo de película usada era tão cruel que alguém com sardas parecia salpicada de lama, um batom vermelho sedutor era transformado num tom negro gótico e os olhos azuis pareciam sem cor.

Do problema dos actores pareceram criaturas estranhas de outra dimensão nasceu então a maquilhagem de cinema na qual começaram a usar vaselina, óleo vegetal ou creme como base a que se adicionava um corante, como pó de tijolo ou paprica para que a pele tivesse um tom mais natural, uma cor branca para esconder o feio queixo duplo e o batom para fazer umas covinhas no rosto. Depois para esconder o brilho daquela mistura aplicavam um pó que secava ficando como uma espécie de barro em cima do rosto.

O problema é que ao franzir a testa ou nos movimentos naturais do rosto a maquilhagem poderia estalar ficando muito feito no filme.

Eis que surge Max Factor, um judeu polaco, dono de uma loja de perucas e acessórios de teatro, que desenvolveu os meios para criar uma maquilhagem flexível que superava os problemas das anteriores.

A lpja de max factor onde ele fabricava cosméticos


Como as películas de cinema e mais tarde os sistemas de televisão usavam uma forma de captura das imagens muito diferente do que é hoje os actores eram maquilhados pelo Max Factor usando cores que não eram nada realistas e que faziam eles se parecerem autênticos zombies fugidos do manicómio comportando-se como gente normal.

Esquema de cores para maquilhagem para película preto e branco e cores

Max foi aperfeiçoando a sua técnica e desenvolveu um medidor do rosto que servia para detectar as imperfeições nas proporções e que depois mascarava com a maquilhagem. Ao aparelho chamou-lhe calibrador de beleza.

Uma das invenções de Max Factor foi o medidor de rostos

O instrumento que parece inspirado nos equipamentos de tortura medieval deu-lhe a possibilidade de explorar e aumentar mais o seu negócio tornando-se bastante famoso. Desenvolveu produtos cosméticos que mulheres e homens do mundo inteiro usam como lápis para as sobrancelhas, lip gloss e correctivo.

Max Factor maquilhando uma actriz com os seus produtos

Um novo problema vinha a caminho, o filme a cores que poderia destruir por completo o negócio de Max Factor. Os seus produtos tinham dois problemas, um deles e mais óbvio eram as cores usadas o segundo é que eram tão gordurentas que ficavam muito feias.

Max conseguiu então criar um pó compacto rosado que dava um ar elegante e saudável à mulher chamado Pancake (panqueca) que se tornou um enorme sucesso de vendas.

Anúncio antigo do pó pancake de max factor
Maquilhagem panqueca inventada por Max Factor

Um génio, assim se pode descrever Max Factor, que apesar de emigrado para um país estranho, que nunca dominou por completo o inglês deixou a sua marca na história e mudou a vida de milhões em todo o mundo.

Vocês conheciam a história de Max Factor? O que acham dela?



Sem comentários:

Enviar um comentário