terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Usinas nucleares no Brasil - E se um dia acontecer um acidente?

centrais nucleares no brasil


No Brasil existem cerca de 3 mil instalações que usam a energia nuclear, seja para fins medicinais, de investigação ou para a produção de energia eléctrica. Se à primeira vista a energia nuclear pode ser benéfica devido ao seu enorme potencial, por outro, a sua perigosidade é algo que deve ser encarado com a devida seriedade.

Temos vários exemplos de acidentes relacionados com material radioactivo. Os mais conhecidos como o recente em Fukushima ou o mais mediático que ocorreu em Chernobyl, Ucrânia em 1986. Neste último, as consequências humanas foram muito elevadas. No acidente, cerca de 5% do interior do reactor foram libertados de imediato para a atmosfera e a nuvem radioactiva precipitou-se por grande parte da Europa. 

Mas se um acidente assim ocorre-se no Brasil?

localizações das centrais nucleares no brasilO Brasil tem em funcionamento 2 usinas 1 nucleares em funcionamento, conhecidas por Angra 1 e Angra 2.

Esta ainda previsto a entrada em funcionamento de uma terceira para o mesmo local.

Os riscos de ocorrer um acidente são baixos, uma vez que estas instalações tem fortes mecanismos de segurança contudo isso não significa que o risco seja nulo. Há vários tipos de ameaça que podem causar um acidente, sejam eles erro humano, falha nos equipamentos, desastres naturais e ataques terroristas.

Na remota hipótese de ocorrer como seria? Tem o Brasil um plano preparado para esta eventualidade?

Usando como exemplo o acidente em Fukushina no Japão e se aplicarmos os mesmos perímetros de segurança este seria o panorama:

evacuação em caso de acidente nas localizações das centrais nucleares no brasil


A vermelho está a recomendação do governo do Japão para a evacuação da população em redor da central nuclear e a amarelo para não deixaram as suas casas uma vez que há a probabilidade (quase 100%) de o ar estar contaminado e evitar inalar as partículas radioactivas.

Se fosse seguida a recomendação dos Estados Unidos da América, a evacuação tinha que ser feita num raio de 80 quilómetros.

No Brasil, caso fosse seguida a recomendação dos EUA, significaria que teriam de ser retirados mais de 1 milhão de habitantes.

Não consegui encontrar na Internet informações sobre planos do Brasil para esta eventualidade nem a distribuição de comprimidos de iodo como fez a França para quem mora perto dos seus reactores nucleares.

A Agência de Segurança Nuclear Francesa faz esta distribuição de 7 em 7 anos a todos os habitantes que residam a 10 Km das 19 usinas no país.

A principal vantagem desta distribuição é evitar, em caso de acidente, o surgimento de casos de cancro da tiróide, uma vez que estando este órgão saturado de iodo não irá absorver o elemento radioactivo quando for libertado.

Se a Comissão Nacional de Energia Nuclear fez, faz ou fará essa distribuição é uma incógnita, assim vamos torcer para que nada de mal ocorra.

----
1 - Por razões editoras e considerado o público alvo foi usado o termo usina nuclear em vez de central nuclear pois este é o termo mais comum no Brasil





Sem comentários:

Enviar um comentário