quarta-feira, 20 de abril de 2016

Um roubo quase perfeito


Sabem aquela lenda do crime perfeito? A história que se segue quase que esteve para ser algo parecido com isso. Tudo para correr bem faltou apenas um pouco mais de esperteza.

roubo feito com alumínio


Crimes, em especial o roubo, tem muito que se lhe diga quando excluímos a moralidade do acto em si e tentamos ver através do prisma da lógica. Faz sentido roubar? Devemos roubar como?

Temos algo muito sofisticado como os muito falados offshores que permitem esconder milhares em contas secretas e quase isentas de impostos que servem para o mais banal, não pagar impostos altos, até ao infame de lavagem de dinheiro, desvio de capitais, financiamento terrorista e guerras armadas.

Estas técnicas, por sinal bem elaboradas assentam tal como qualquer outro roubo num pressuposto, o segredo, o de o fazer sem ser apanhado.

offshores são usados para esconder dinheiro


Quem pensa num plano deve pensar em todos os pormenores antes de avançar, o que não aconteceu no caso abaixo.

Na Praia Grande, Santa Catarina, os ladrões elaboraram um plano que consistiu em se vestirem com roupas feitas de papel de alumínio, entrar no banco, roubar tudo e ir embora.

O plano funcionou como se previa, a roupa feita de papel de alumínio evitou que os alarmes disparassem mas com o que não contavam é que o banco, além disto, tinha um sistema de vídeo vigilância.

As câmaras de segurança gravaram tudo e da central de monitoramento foi chamada a polícia para os apanhar. Tiveram sorte porque conseguiram escapar mas o azar de provavelmente serem os ladrões mais zombados de Santa Catarina.

Confira no vídeo abaixo:


Assalto com papel de alúminio por acontecemcoisas



Sem comentários:

Enviar um comentário