quarta-feira, 18 de maio de 2016

Nina Kulagina, a paranormal russa

O mundo é um lugar de mistérios e por vezes a verdade fica num sítio difícil de alcançar. Será que aquilo que temos como possível e impossível é tão linear?

Nina Kulagina a paranormal russa

Nina Kulagina, que viveu entre 1926 a 1990, tornou-se mundialmente famosa pelas suas habilidades extraordinárias e estudadas pela agência secreta russa, o KGB.

Ela ficou conhecida pelos seus poderes mentais, ela era capaz de mover objectos com a mente. O KGB, para ter a certeza das suas reais capacidades, testou-a em laboratório sob um ambiente controlado para evitar qualquer tipo de fraude.

Nina Kulagina era capaz de mexer objectos com a mente

Se mexer objectos já é espectacular, o que o KGB descobriu foi ainda mais arrebatador.

No principio colocaram uma redoma sobre os objectos, e ela os conseguia mexer, colocaram-na numa gaiola de Faraday para a isolar de qualquer campo electromagnético externo e mesmo assim conseguiu repetir os feitos.

A curiosidade levou os cientistas a uma pergunta cuja resposta obtida é assustadora. Se ela consegue mexer objectos será que consegue afectar seres vivos?

O poder da mente

O dia do teste chegou a 10 de Março de 1970. Numa sala Nina Kulagina iria ter os seus batimentos cardíacos medidos juntamente com os de um sapo. O teste teve o objectivo de descobrir se ela conseguia causar algum tipo de efeito no animal.

Os cientistas espantados viram que ela era capaz de acelerar, abrandar e mesmo parar o coração do animal. O próximo passo seria repetir a experiência com um ser humano.

Psicocinese, o poder de mover objectos com a mente

Nunca se provou como uma fraude, porém também nunca se sujeitou a testes por outras entidades o que levou a muitos a acusar a União Soviética de propaganda, numa tentativa de reclamar para si o título de raça telepata numa altura em que decorria a guerra espacial.

Negamos a verdade diante dos nossos olhos ou tememos o engano?


Telecinese - Nina Kulagina por acontecemcoisas




Sem comentários:

Enviar um comentário