quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Mary Celeste - O mistério do barco abandonado

Já ouviu falar de pessoas que desaparecem sem deixar rasto? Hoje temos uma peculiar história do género envolvendo um barco, o Mary Celeste.


O Mary Celeste começou a sua história com outro nome, Amazon, e desde do início ele atraiu vários infortúnios. O seu primeiro capitão, morreu dois dias após assumir o comando e na viagem inaugural danificou o casco. Como se não fosse o bastante, durante a reparação houve um incêndio causando mais danos.

Após o conserto, ao atravessar o estreito de Dover, ele colidiu com um outro navio afundando-o. Vários capitães passaram por ele até que o quarto o encalhou numa ilha. Após isso foi passou de mão mais 3 vezes até chegar a J. H. Winchester que o baptizou com o nome pelo qual é mais conhecido, Mary Celeste.

A fatídica viagem partiu de Nova Iorque com destino a Génova a 5 de Novembro de 1872. A bordo estavam o capitão, Benjamim Briggs, a sua esposa e a filha de 2 anos. Com eles seguiam também uma tripulação composta de 7 elementos.

Mary Celeste apareceu à deriva sem ninguém a bordo
Fotografia do Mary Celeste
 
Por 20 dias a viagem correu bem até que algo misterioso aconteceu e que até hoje ninguém sabe explicar. Mais tarde, a 5 de Dezembro de 1872, um outro capitão, Benjamim Morehouse, que comandava o barco Dei Gratiam encontrou o Mary Celeste entre a costa de Portugal e o arquipélago dos Açores a navegar desgovernado. Como não teve qualquer resposta vinda do Mary Celeste, Benjamim decidiu então subir a bordo para ver o que se passava.

Para sua surpresa, ninguém estava a bordo, nem vivo nem morto. Faltavam 2 veles e a bússola do navio tinha sido esmagada. Havia alguma água no barco mas não o suficiente para o afundar. Os restantes pertences estavam intactos e os seus armários não tinham sido arrombados. 

Após uma vistoria mais a fundo notaram que o salva-vidas estava em falta mas várias perguntam ficam no ar. Porque razão eles abandonariam a segurança do barco para ir para um pequeno salva-vidas? Do que eles fugiam?







3 comentários: