quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Mary Celeste - O mistério do barco abandonado

Já ouviu falar de pessoas que desaparecem sem deixar rasto? Hoje temos uma peculiar história do género envolvendo um barco, o Mary Celeste.


O Mary Celeste começou a sua história com outro nome, Amazon, e desde do início ele atraiu vários infortúnios. O seu primeiro capitão, morreu dois dias após assumir o comando e na viagem inaugural danificou o casco. Como se não fosse o bastante, durante a reparação houve um incêndio causando mais danos.

Após o conserto, ao atravessar o estreito de Dover, ele colidiu com um outro navio afundando-o. Vários capitães passaram por ele até que o quarto o encalhou numa ilha. Após isso foi passou de mão mais 3 vezes até chegar a J. H. Winchester que o baptizou com o nome pelo qual é mais conhecido, Mary Celeste.

A fatídica viagem partiu de Nova Iorque com destino a Génova a 5 de Novembro de 1872. A bordo estavam o capitão, Benjamim Briggs, a sua esposa e a filha de 2 anos. Com eles seguiam também uma tripulação composta de 7 elementos.

Mary Celeste apareceu à deriva sem ninguém a bordo
Fotografia do Mary Celeste
 
Por 20 dias a viagem correu bem até que algo misterioso aconteceu e que até hoje ninguém sabe explicar. Mais tarde, a 5 de Dezembro de 1872, um outro capitão, Benjamim Morehouse, que comandava o barco Dei Gratiam encontrou o Mary Celeste entre a costa de Portugal e o arquipélago dos Açores a navegar desgovernado. Como não teve qualquer resposta vinda do Mary Celeste, Benjamim decidiu então subir a bordo para ver o que se passava.

Para sua surpresa, ninguém estava a bordo, nem vivo nem morto. Faltavam 2 veles e a bússola do navio tinha sido esmagada. Havia alguma água no barco mas não o suficiente para o afundar. Os restantes pertences estavam intactos e os seus armários não tinham sido arrombados. 

Após uma vistoria mais a fundo notaram que o salva-vidas estava em falta mas várias perguntam ficam no ar. Porque razão eles abandonariam a segurança do barco para ir para um pequeno salva-vidas? Do que eles fugiam?







quarta-feira, 17 de agosto de 2016

OVNI em momumento

OVNI visto em monumento

No local favorito dos extraterrestres, os Estados Unidos da América, foi visto um OVNI, desta vez num momento chamado Gateway Arch. Este monumento, inaugurado em 1967 representa o espírito aventureiro daqueles que participaram na expansão das fronteiras do país para o Oeste.

OVNI visto em monumento


A 2 de Agosto deste ano, as câmaras de vigilância registaram uma estranha luz que voou perto do momento. A luz passou rasante ao arco e desceu até ao parque de estacionamento.

A teoria aponta para que seja um drone comandado por alguém que se encontrava dentro de um dos veículos estacionados mas é difícil de dizer se alguém anda a pilotar estas máquinas depois do anoitecer.

"Especialistas" dizem que as luzes emitidas pelo o objecto são muito diferentes das emitidas por um drone e que o mistério se mantém.

Veja agora a reportagem:



OVNI no Gateway Arch por acontecemcoisas



domingo, 14 de agosto de 2016

Vídeo da semana: O cão voador

Será um pássaro, será um avião, será o Super Cão?



O cão voador por acontecemcoisas




quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Geração radioactiva


Para muitos hoje em dia ao pensar em radioactividade tendemos a associar a palavra morte. Não deixa de ter alguma razão, porém os materiais radioactivos tem várias utilidades e são empregados na produção de energia, em medicina ou em detectores de incêndios para dar alguns exemplos mas houve uma geração que levou a radioactividade a um patamar que apenas a ignorância pôde abençoar.



A radioactividade no seu início teve um importantíssimo contributo da cientista francesa Marie Curie, poloca e naturalizada francesa, pela descoberta dos elementos polónio e rádio. Foi a primeira mulher a ganhar um prémio Nobel a única a ganhar dois.


Infelizmente acabou por morrer pelo fruto do seu trabalho. Sem saber os efeitos da radioactividade nunca se protegeu e acabou por desenvolver cancro ósseo. A ignorância neste caso não foi uma bênção, nem para ela nem para uma geração inteira.

tinta radioactiva
Operária pinta relógio com tinta radioactiva

O caso mais dramático e aquele que despertou a sociedade para o temor da radioactividade foi aquele que levou a tribunal as operárias de uma fábrica de mostradores de relógios para o exército norte americano e a empresa para a qual trabalhavam. Estes relógios tinham a particularidade de brilharem no escuro mas para isso usavam uma tinta contendo rádio. Como era necessário que o pincel estivesse sempre afiado elas passavam o dia a molhar a ponta com os lábios e assim ingeriam o material radioactivo presente na tinta.

vítimas da radioactividade
Vítimas da radioactividade

Passado algum tempo, os ossos começaram a apodrecer, isto porque o organismo humano processa o rádio da mesma forma que processa o cálcio. A uma das operárias aconteceu ter ficado sem parte do maxilar durante uma visita ao dentista ficando esta presa na pinça do médico só para terem uma ideia da degradação.



filtro de água
Revigorador radioactivo
tratamento para a impotência
Água para impotência

A utilização do rádio não se ficou apenas para os relógios, foi usado num revigorador, uma espécie de purificador de água, comésticos e roupa interior masculina para ganhar potência (se é que me entendem). A ideia de usar os produtos com radioactividade seria de alguma forma assimilar algumas das suas “propriedades benéficas” que nunca foram objectivamente claras nas campanhas publicitárias.

tratamento para dar energia
Supositório com material radioactivo para dar energia

As curas pelo rádio eram grotescas mas naquela altura parecia tudo bem. Existiam suspensórios (imagem acima) que prometiam revitalizar a sua vida e trazer a sua energia de volta.

produtos contendo material radioactivos
Cosméticos contendo material radioactivo

Já a linha de cosméticos incluía sabonetes, batons, cremes, pasta de dentes entre outros e usaram como material base o tório que pode ser usado como combustível em centrais nucleares.  O problema é que tal como nas operárias da fábrica estas pessoas iriam morrer envenenadas.

A ignorância do público em geral era tal que quando se aperceberam do problema era tarde de mais e o pior é que os malefícios da radioactividade eram conhecidos pela comunidade médica e científica mas o dinheiro falou mais alto.

Da próxima vez que lhe prometerem uma solução universal para todos os seus problemas fique alerta.



sábado, 30 de julho de 2016

Vídeo da semana: Coça que está bom




Coça que está bom por acontecemcoisas



Pub